InícioSetoresMineraçãoMenos e mais: Por que bombear lodos com uma bomba peristálticas

Menos e mais: Por que bombear lodos com uma bomba peristálticas

MENOS ÁGUA
Bombas peristálticas usam menos água

As bombas de mangueira podem circular lodos com GE de 1,6 a 1,8 ou com até 80% de conteúdo sólido.  A bomba centrífuga tradicional perde eficiência quando a GE do lodo atinge 1,3 ou 30% de sólidos.  Com essa limitação, as bombas de lodo apresentam uma demanda alta de água no processo: em uma planta que processa 75 toneladas de minério por hora, a 65% de sólidos, sempre que uma bomba de mangueira substitui uma bomba de lodo do processo, ela poupa mais de 1,000 milhão de litros de água anualmente, por causa da ineficiência da bomba de lodo — para a mesma operação, a bomba de mangueira requer menos de 25% da água do processo de uma bomba de lodo.
 
MENOS ENERGIA
Bombas peristálticas usam menos energia

Na mesma planta de 75 toneladas de minério por hora, na operação de subfluxo de espessante com fluxo total, uma bomba de mangueira VF125 absorve cerca de 35 kW, ao passo que uma bomba de lodo precisa de mais de 70 kW — uma economia de mais de 50%.  Isso se reflete diretamente na redução da energia necessária.  O racionamento de energia é uma questão importante para muitas minas estabelecidas — em novos desenvolvimentos, os custos de infraestrutura para a importação de energia podem ser consideráveis e até mesmo provocar grandes atrasos e gerar a oposição de ambientalistas por algo não relacionado à mineração.
 
Também há um argumento econômico importante – no exemplo acima, a bomba de mangueira reduziu a demanda anual de energia operacional em mais de 210 MWh.
 
MENOS ESPAÇO
As bombas peristálticas aumentam a eficiência da linha descendente e reduzem o tamanho geral da planta

A densidade da polpa é crítica para o desempenho ideal da planta. O maior teor de sólidos pode reduzir o número de estágios posteriores ao filtro de espessamento, poupando o custo do capital inicial e reduzindo a ocupação de espaço da operação de processamento mineral.
 
MENOS POLUIÇÃO
As bombas peristálticas reduzem o impacto ambiental da mineração

Muitos processos de recuperação mineral usam técnicas de lixiviação baseada em cianeto, principalmente nos casos em que o ouro é um mineral importante.  O cianeto provoca muitas conseqüências ambientais negativas, como poluir o terreno em torno da planta, contaminar os aquíferos e dizimar a vida nos cursos de água.  A solução de dosagem tradicional — as bombas de cavidade progressiva — tem vedações integradas que requerem substituições regulares e representam um risco claro de vazamento.  As bombas peristálticas não têm vedações e, consequentemente, representam um risco menor de contaminação.
 
 MENOS DANO
As bombas peristálticas têm uma ação de bombeamento suave, ideal para técnicas de bio-oxidação

A bomba peristáltica tem uma ação de bombeamento muito suave, que minimiza os danos à culturas celulares frágeis em técnicas de reação de bio-oxidação.  O processo Biox (R), que usa uma cultura viva para liberar o ouro dos minérios de sulfeto, reduzindo o uso do cianeto e melhorando o rendimento do processo, é um exemplo de projeto que precisa disso.
 
MENOS PRODUTOS QUÍMICOS
A ação de bombeamento suave das bombas peristálticas reduz o uso de reagentes e os custos de tratamento dos resíduos de drenagem das minas

A ação de bombeamento das bombas peristálticas — suave e de baixo cisalhamento — mantém o tamanho das partículas, minimizando o uso de floculantes e outros reagentes do processo.  As tecnologias convencionais, com alto cisalhamento — como as bombas de cavidade progressiva e de parafuso — aumentam significativamente o uso de reagentes, aumentando os custos operacionais e elevando os custos de pós-processamento devido à transferência do reagente de flutuação.  Da mesma forma, os resíduos de reagentes podem aumentar o custo de remediação dos resíduos ou agravar os danos ambientais decorrentes das barragens de rejeitos ou a poluição resultante das águas subterrâneas.
 
CUSTOS DE MANUTENÇÃO MAIS BAIXOS
Bombas peristálticas resistentes à abrasão reduzem os custos de manutenção

Frequentemente, os lodos são ácidos ou altamente abrasivos.  Consequentemente, as bombas de lodo convencionais usam impulsores feitos de materiais cada vez mais caros e não padronizados, com vida útil de alguns dias.
 
MENOS TEMPO DE INATIVIDADE
Intervalos de manutenção mais longos e manutenção fácil no local reduzem o tempo de inatividade da bomba

Por outro lado, em uma bomba peristáltica, somente a mangueira de borracha entra em contato com o líquido bombeado e, por ser a melhor bomba revestida de borracha, a vida de serviço é de alguns meses, reduzindo o tempo de inatividade. E, já que a bomba pode ser trocada facilmente no local, as horas de manutenção também são reduzidas.
 
MENOS PEÇAS ESPECIAIS
As mangueiras resistentes à corrosão eliminam os impulsores metálicos especiais, que custam caro

Para bombear lodos altamente ácidos, as mangueiras são feitas de vários elastômeros padrão que já mostraram, no ambiente de mineração, que podem resistir aos produtos químicos do processo. Assim, o uso de impulsores caros de metais exóticos é evitado.