Dosagem de alta pressão e baixo volume

• Dosagem de alta pressão e baixo volume:  A Dura 5 e a Dura 7 fornecem vazões estáveis de menos de um litro por hora a 5 ou 8 bar em um formato de bomba de mangueira resistente.

• Bombeamento sem preocupação de líquidos que emitem gás: Os municípios usam regularmente o hipoclorito de sódio (“Hypo”) para desinfetar a água potável, e o setor alimentício usa o Hypo para prevenir a contaminação por bactérias.  Quando é bombeado, o Hypo emite gases, causando bloqueio por vapor na câmara da bomba de diafragma e tendo como resultado válvulas de desgaseificação adicionais.  Frequentemente, as bombas são ajustadas para a “sobredosagem”, para compensar a perda de desempenho que leva ao aumento da utilização de produtos químicos.  Bombas de mangueira são uma solução comprovada, que também trata dos problemas de cristalização.

• Elimine os custos do desgaste abrasivo: O calcário ou leite de cal é um produto químico frequentemente usado para o ajuste de pH, utilizado no tratamento de água, remediação de resíduos e controle da acidez do processo.  As partículas finas do calcário são altamente abrasivas e causam desgastes graves no estator e na válvula, aumentando os custos de propriedade da bomba.  A Verderflex tem muitos anos de experiência na resolução desse problema de bombeamento, e as bombas peristálticas são consideradas como a solução comprovada e sem válvulas para bombear calcário. Agora, as bombas Dura 5 e 7 oferecem esse desempenho comprovado para as vazões mais baixas.

• Reduza o uso de produtos químicos: As bombas peristálticas têm uma ação suave de baixo cisalhamento, que mantém o tamanho das partículas e reduz os volumes de produtos químicos para floculação.  As soluções tradicionais, por sua vez, frequentemente cisalham as partículas de floculante, aumentando o uso de produtos químicos e os custos da operação.  Agora, as bombas Dura 5 e 7 oferecem esses benefícios para as vazões baixas de produtos químicos.

• Elimine os custos do entupimento: As variações de viscosidade entopem as bombas de medição, exigindo intervenção da manutenção.  As bombas Dura 5 e 7 usam mangueiras reforçadas para gerar uma sucção forte, eliminando a variabilidade de desempenho causada por pequenas flutuações na viscosidade e os consequentes custos de manutenção relacionados a entupimentos. Além disso, as bombas Dura 5 e 7, realmente reversíveis, permitem a operação reversa e a eliminação de bloqueios — ao contrário das bombas de tubo não simétricas, em que as vazões mudam com a direção de bombeamento.

• Cristalização: Muitos reagentes cristalizam quando as vazões dos produtos químicos medidos são interrompidas. O revestimento das sedes causa perda de desempenho, ao passo que as bombas Dura 5 e 7, resistentes à abrasão, mantêm as vazões.

• Sem retensionamento do tubo: Algumas bombas peristálticas usam trechos contínuos de tubos não reforçados que requerem retensionamento após a instalação inicial.  As mangueiras para serviço pesado de vida útil longa das bombas Dura 5 e 7 são do tipo que você “instala e esquece”.

• Verdadeira escorva a seco: As bombas Dura 5 e Dura 7 realizam a escorva a seco e obtêm 9,5 m de água, em comparação com o valor abaixo de 5 m das elevações que utilizam escorva com líquido, associadas às bombas de diafragma.  Agora as bombas Dura 5 e 7 eliminam a necessidade de pré-umedecer e escorvar em sistemas de alimentação de produtos químicos com volume mais baixo.

• Elimine os problemas de operação a seco: As bombas de cavidade progressiva não toleram interrupções nas linhas de alimentação de líquido, pois isso causa queima dos estatores e tempo de inatividade, que custam caro.  As mangueiras das bombas Dura 5 e 7 são lubrificadas a partir do exterior e oferecem um bombeamento sem preocupações e à prova de erros do operador para as vazões mais baixas.

• Sem equipamentos auxiliares: As soluções de medição convencionais precisam de contrapressão e válvulas de pé e de desgaseificação.  Os rotores de oclusão fixa das bombas Dura 5 e 7 simplificam as instalações e eliminam a necessidade de peças adicionais, mantendo uma separação entre as linhas de fornecimento e de descarga.

 Fornecimento estável de líquidos: Muitas bombas de medição perdem precisão quando as vazões ou pressões do sistema mudam. No entanto, a recomposição forte das mangueiras da Dura 5 e 7 oferece uma precisão de dosagem consistente, mesmo em condições operacionais variáveis.

• Contenção secundária superior: O líquido bombeado fica totalmente contido na mangueira de alta pressão das bombas Dura 5 e 7, e cada mangueira fica totalmente contida na carcaça da bomba.  Isso tem como resultado uma contenção secundária superior, permite a detecção antes do derramamento e pode eliminar diques especiais para derramamentos.

• Alta margem de segurança e fixação segura: A parte principal das bombas Dura 5 e 7 é a mangueira reforçada, cuja pressão de rebentamento é superior a 80 bar (1150 PSI)— ao contrário de tubos não reforçados, que podem estourar facilmente e utilizam conexões de crimpagem, diferente do sistema de fixação com encaixe cônico de alta compressão das bombas Dura 5 e 7.

• Desempenho superior com líquidos viscosos: As bombas de diafragma para dosagem exigem que os clientes usem extremidades de líquido especiais, mais complexas, para os líquidos de 200 CPS, e a recuperação dos tubos não reforçados limita as velocidades de operação das bombas de tubo.  A recomposição eficiente das mangueiras reforçadas das bombas Dura 5 e Dura 7 proporciona um bombeamento sem problemas dos líquidos com mais de 1000 CPS e elimina flutuações de vazão sem necessidade de peças adicionais.

• Manutenção simples: Somente a mangueira, fácil de trocar, entra em contato com o líquido bombeado.  O tempo de inatividade é reduzido significativamente com as manutenções menos frequentes e mangueiras com vida útil de milhares de horas.  Funcionários semiespecializados podem realizar trocas simples no local, reduzindo o custo total de propriedade da solução de medição.

• Controles simples para o usuário: As bombas de mangueira não precisam de teclados locais complexos.  As bombas Dura 5 e 7 podem ser controladas remotamente por inversores, eliminando a confusão dos operadores e mantendo a simplicidade do sistema de controle.  Esses inversores podem ser de uma marca conhecida, padrão do local, simplificando ainda mais os requisitos de suporte do sistema de controle.

• Desempenho escalável: As bombas Dura 5 e 7 têm a mesma carcaça e as mesmas estruturas de montagem da Dura 10.  Se as demandas do sistema mudam, as vazões são aumentadas facilmente no local ou diminuídas por meio da substituição da mangueira e de alguns componentes padrão.