InícioSetoresMineraçãoBombeando lodo de platina

Bomba de mangueira VF125 usada em uma mina na África do Sul

A Verder Pumps SA (Pty) Ltd. fornece materiais de mineração para a maioria das minas na região de Rustenburg.  Dentre elas, a operação Angloplat tem 3 bombas VF125 em operação na planta Waterval Smelter. Com a alteração dos processos na fundição e a necessidade de bombas confiáveis e de qualidade, Div de Villiers, Especialista em Engenharia da Waterval Smelter, levou em consideração a linha de bombas Verder, famosas pela durabilidade e com capacidade de resistir à demanda de capacidade do bombeamento de lodos.

Após uma consulta estratégica aos engenheiros da Verder Pumps SA, a planta adquiriu três bombas VF125.  Antes, a bomba de descarregamento, usada para transferir o concentrado (GE 1,5) dos caminhões para o tanque, levava uma hora e 45 minutos — agora, o tempo de descarregamento foi reduzido para 20 minutos.

A bomba do condicionador, que faz o trabalho mais pesado, executa durante 10 horas por dia e circula o lodo muito denso (GE 1,7) no processo para mantê-lo em suspensão.  Isso impede o assentamento do lodo e elimina os problemas de afogamento resultantes disso.  As bombas de transferência associadas fornecem esse lodo de alta densidade para a planta, a 600 m de distância.

As duas bombas de transferência normalmente operam durante 4 a 5 horas por dia, refletindo os cronogramas de entrega do caminhão-tanque de fornecimento. As bombas são limitadas a 50m³/hora para a GE de 1,7 embora tenham a capacidade de bombear até 90m³/hr.

O Sr. Gresse, que trabalha na planta de fundição de baias de pedágio há 11 anos, diz que as bombas estão funcionando sem problemas e as mangueiras requerem apenas a operação normal.  “Estamos extremamente satisfeitos com a operação da bomba”, confirmou.

Devido ao aumento da demanda pelo bombeamento de lodos na fundição, de Villiers informou à Verder que existem planos para uma segunda planta de baias de pedágio até o final do ano.

A planta nova e maior tem o dobro da capacidade da planta original, exigindo o uso de 6 bombas VF125 para aumentar a vazão e foi construída ao longo da planta existente.

Além disso, de Villiers está tão impressionado com a qualidade das bombas da Verder que, nos próximos meses, a linha de bombas da Verder irá substituir as bombas dos concorrentes quando houver grandes reparos e/ou outras modificações na fundição.

Segundo Villiers, nos 17 anos em que ele atua na Anglo Platinum, ele nunca recebeu um serviço tão extraordinário quando o da Verder.

“Estamos em uma posição extremamente favorável, beneficiando-nos do profissionalismo e o conhecimento da Verder sobre os produtos”.

Desde que se tornou o prestador de serviços preferencial da planta, há oito anos, a empresa se beneficiou muito com o grande conhecimento sobre bombas dos fornecedores de mineração”, concluiu de Villiers.

Além disso, com a recomendação da Verder, uma bomba VF100 foi entregue recentemente ao Concentrador UG2, a mais nova planta da área, pertencente à mesma operação.

“É a primeira linha de bombas da Verder naquela planta específica”.

No devido tempo, “a durabilidade das bombas de qualidade da Verder conquistará o território do concorrente na planta”, afirmou Lamb.

Há quase 60 anos, o Grupo Verder vem proporcionando soluções de bombeamento a indústrias do mundo todo.  O grupo é conhecido por seus produtos de alta qualidade, tecnologia inovadora e, acima de tudo, conhecimento sobre o setor atendido. 

A bomba VF125, a maior bomba peristáltica da Verderflex®, tem uma mangueira com 125 mm de diâmetro interno, pode bombear a fluxos de até 90m³/hora e pode realizar as tarefas mais pesadas de bombeamento, como o do lodo de platina na planta Waterval Smelter, com a maior facilidade.